Bhakti-Yoga

Suddha Bhakti Yoga - Despertando a Consciência Divina

(Um resumo do primeiro capítulo do livro “Suddha Bhakti” de sua divina graça Bhakti Ballabh Tirtha Goswami Maharaj)

primeira vez em portugues.



    Todos nós buscamos por felicidade neste mundo. Porém tal felicidade nos parece uma miragem ‘quanto mais corremos atrás dela, mais ela se distancia de nós. Quando uma pessoa inteligente percebe que está correndo atrás de algo ilusório e temporário, ela começa á questionar acerca da real e eterna felicidade ‘ananda’.
A natureza de todo ser vivo é ser feliz, bem aventurada e sentir-se em êxtase na conexão com a fonte do prazer Sri Krishna. “Krishna” significa “aquele que dá prazer e também aquele que atrai tudo e todos”. Aqueles que tem esta conexão transcendental podem sentir felicidade ilimitada, a qual não é encontrada neste mundo.
Então pode surgir uma pergunta: “Se Krishna atrai á todos e nesta atração encontramos felicidade, por que ele não me atrai e não estou feliz?” Podemos aqui usar a analogia do metal e do magnézio (ima). O ima tem a natureza de atrair o metal, porém quando há uma cobertura de sujeira no metal, o ima não consegue atrai-lo. Assim também, a sujeira acumulada nos nossos corações não permite que o todo atrativo nos atraia. Esta é nossa principal doença. Por estarmos esquecidos de Sri Krishna, dormindo no colo da ilusão, acumulamos muita poeira nos nossos corações. Assim o todo atrativo não nos atrai, ao contrário estamos sendo atraídos pela energia ilusória (maya). Queremos desfrutar deste mundo separadamente de Sri Krishna e o resultado disto é o sofrimento. As vezes desfrutamos um pouquinho de algo sensual e nos sentimos felizes, mas logo á seguir, sofremos a reação de tal ato e a infelicidade nos toma por completo novamente. Doença inevitavelmente acompanha o desfrute irrestrito. Na verdade, todos os atos performados com base no ego pervertido leva ao sofrimento. Então a pergunta é: “Devemos nós permanecer neste mundo eternamente, causando á nós mesmos, tanto sofrimento?”. Na Gita, Krishna diz:

“Eu sou a causa de tudo neste mundo. Ó Arjuna, tudo que você fizer, faça como uma oferenda á mim. Assim você alcançará verdadeira paz e felicidade.”


“Aquele que me adora com amor e devoção alcança minha eterna morada e nunca mais volta á nascer neste mundo material”

Um dia, todos terão que deixar este corpo, seja a pessoa rica ou pobre, feia ou bonita, todos terão que partir.

Yada vabda satante va
Mrtyu vai praninam drhuvah

(Padma purana)

“Uma pessoa pode permanecer aqui neste mundo por mais 1 dia, 1 mês, 1 ano ou 100 anos, mas o certo é que um dia ela vai ter que morrer”.


Porém, por estarem completamente cobertos pela energia ilusória de Deus, as pessoas não entendem este mundo. Elas pensam que é cheio de prazer, e que podem conseguir felicidade aqui. Deus é a causa deste mundo.
Quando as pessoas se tornam aversas á Deus devido á sua relativa independência, sua sombra vem e encobre eles. Esta sombra faz elas pensarem que este mundo é eternamente consciente e feliz, mas de fato isto não tem uma real substância.
Tudo que você vê é como um sonho. Enquanto você está dormindo você pensa que tudo é realidade, mas quando acordam, realizam que é falso. Assim, o mundo inteiro está sonhando.

Assim como quando temos uma doença, procuramos um médico e questionamos ele sobre qual foi a causa de tal doença e qual é a forma de tratamento, também devemos nos aproximar de um médico espiritual (Guru) e perguntar á ele qual foi a causa de tamanho sofrimento e infelicidade e também qual é a forma de tratamento para esta doença. O médico divino, o guru perfeito então irá nos transmitir internamente, no campo da alma, o conhecimento sobre quem somos, o que é este mundo, quem é Deus e qual é a nossa relação com Ele. Ele também dará o remédio, o método prático através do qual alcançaremos a felicidade divina. Devemos seguir as ordens do Guru cem por cento, com uma rendição incondicional e dar todo nosso coração á ele. Primeiro devemos analizar se tal Guru é realmente um guia fidedigno. Sobre isto, uma vez o Senhor Shiva disse á sua esposa Parvati:

“Ó Parvati, neste mundo é muito fácil de encontrar um guru que está só interessado em tirar toda a riqueza dos seus discípulos e extrair fama deles, mas é muito difícil encontrar um Guru que realmente pode livrar o discípulo deste oceano de repetidos nascimentos e mortes.”

(Shiva purana)



Então devemos primeiro analizar bem as características do Mestre espiritual á quem vamos nos render. Aceitando a guia e as instruções do guru genuíno, a pessoa interessada na real felicidade (acordar deste sonho, o mundo material), deve se render completamente ao Senhor Supremo Sri Krishna: “ saranagati, hoibe janhara”.


No épico Védico conhecido como Mahabharata, encontramos uma história sobre como devemos nos render ao Guru e á Krishna.

Quando Duhsasana quis despir Draupadi em uma assembléia de reis, Draupadi chorou e gritou o nome de Krishna, para ele resgata-la. Krishna salvou-a, mas não imediatamente. Devido ao fato de que Krishna a salvou um pouco depois do chamado, Draupadi disse á Krishna:

“Muito obrigado por me salvar, mas você poderia ter me salvado um pouco antes para eu não passar tanta vergonha. Por que você demorou tanto? Qual é a razão da demora?”

Krishna respondeu: “Você chamou por meu nome, eu admito. Mas aquele chamado não foi completo. Você não se refugiou completamente em mim. Primeiro você se refugiou em Bhima e Arjuna, pensando que eles poderiam vir e matar Duhsasana. Você gritou meu nome, mas não tomou meu abrigo. Você se abrigou em Bhima e Arjuna. Não é verdade?”

Draupadi: “Sim”

Krishna: “Então, por que eu deveria vir?”

Draupadi: “Bem, você deveria ter vindo depois disso.”

Krishna: “Depois disso, você se abrigou em Drona. Se Drona tivesse parado aquilo, ninguém teria o poder de continuar. Então, por que eu deveria vim se Drona poderia vir e salvar você? Eu não estou correto?”

Draupadi: “Sim, é verdade.”

Krishna: “Depois disto você tomou refúgio no avô Bhisma, o formidável guerreiro, e o mais respeitado membro da côrte. Se ele tivesse intervido, ninguém poderia fazer nada, você se refugiou nele. Então, porque eu deveria ter vindo já que Bhisma poderia resgatar você? Eu pensei, “Deixa ele proteger você”
“Depois disso, você refugiou em Dhrtarastra e depois em todos os reis presentes. Depois de tudo isso, você tentou se proteger por conta própria tentando segurar sua roupa com suas mãos. Porém, eu não apareço quando saranagati (rendição), é parcial. Quando, você com as mãos postas me chamou, tomando refúgio absoluto em mim, neste momento eu vim imediatamente”.



Á não ser que nos refugiamos completamente em Sri Krishna, não podemos receber qualquer remédio para as nossas misérias. Enquanto não nos submetermos completa e sinceramente ao Deus Supremo Sri Krishna, estamos destinados á sofrer as misérias deste mundo.








As três fases do processo de Bhakti-Yoga


A palavra sanscrita Yoga significa conexão com Deus e atualmente se refere á Bhakti Yoga,ou Yoga do amor e afeição, visto que Deus é amor e Deus também é afeição. Apenas o amor á verdade absoluta nos levará á terra de nossos sonhos. Deus é controlado pelo amor de seus devotos, assim como uma mãe é controlada pelo amor de seu filho. Não há outra maneira de se Ter uma visão absoluta do ser supremo á não ser cantando seu nome com amor e afeição.
Para explicar o nosso relacionamento com Deus, o que em sanscrito chama-se Sambandha, temos que Ter uma idéia de quem é o supremo e quem somos nós, e então descobriremos qual é a nossa relação com a verdade absoluta e indivisa.
Nos Vedas podemos encontrar explicações lógicas e simples sobre a natureza do ser e também de Deus. Neste verso falado por Mahaprabhu , resume-se nossa real posição em relação ao autócrata supremo(Krsna).

Jivera svarupa haya krsnera nitya das
Krsnera tatastha sakti bheda bheda prakas

Jivera svarupa haya significa a original forma e posição da entidade viva(jiva), Krsnera nitya das, aqui foi revelada nossa posição em relação á Deus (Krsna). Nitya quer dizer eterna, e das quer dizer servo, servo de quem? Então ele fala de Krsnera, Krsna , Deus. Mahaprabhu revelou que nossa posição original é de um servo eterno do senhor supremo, em conexão com a filosofia de igualdade e diferença simultaneas que significa que temos qualidades em comum em relação á Deus (sac-cit-ananda), mas ao mesmo tempo somos bastante diferentes e insignificantes de acordo com a quantidade destas qualidades.
Sabendo desta nossa eterna posição, Sriman Mahaprabhu deu nesta mais auspiciosa era de Kali, o processo com o qual podemos restabelecer esta conexão, que há tempos foi perdida, devido á nossa ambição de ser seres desfrutadores e não seres que servem. Tudo deve ser feito e oferecido ao proprietário, e não desfrutado e saboreado. Mas Deus é amor, porque ele age desta forma? Simples, porque ele sabe que sem este serviço, ninguém pode ser feliz, simplesmente por 'desfrutar' deste mundo e ter uma vida com interesses próprios. Ele sabe que apenas O servindo a pessoa poderá ser feliz e realizada pois esta é a função natural de todo ser vivo (Jiva Dharma). Deus não quer ver ninguém se lamentando e triste, sofrendo reações do proprio karma etc.. por isso ele de forma amorosa vem pessoalemente várias vezes na terra, e quando não está aki envia seus mensageiros, isto é misericórdia e amor á todos. Deus é amor e amor é Deus. Assim como o servo de um rei é mandado á forca ao roubar ou desfrutar da propriedade do rei , assim também ,nós , servos de Deus, somos mandados para esta cadeia de repetidos nascimentos e mortes por estarmos usurpando coisas que são para uso e fruto de seu criador. A maneira mais fácil de restabelecermos nossa conexão original é o processo de Yoga, Bhakti Yoga, praticada pelo cantar dos santos nomes de Deus, sob a guia de um expert no assunto, o Guru genuíno, o representante e guardião da verdade. Á isto dá-se o nome de Abidheya, a prática que nos leva á meta.

Harer nama harer nama harer namaiva kevalam
Kalau nasty eva nasty eva nasty eva gatih anyantah

Nesta atual era de ferro, não há outra maneir ade se livrar da cadeia de nascimento e morte há não ser os canto dos santos nomes de Krishna, dos santos de Krishna, dos santos nomes de Krishna.

E qual é a meta final? A meta não é liberação impessoal, não é exploração ou desfrute, e nem tampouco adquirir conhecimento, mas sim obter Krishna Prema. Prema em sanscrito quer dizer Amor Puro, um tipo muito profundo de extase, que enlouquece o praticante de Bhakti e o entorpece com os sentimentos de amor profundo á Deus. Esta é a meta última de todo ser vivo. Podemos encontrar em todas as escrituras sagradas que Deus é amor e que devemos desenvolver-mos nosso amor á ele, desenvolvendo com ele uma relação de amor e afeição. Á isto dá-se o nome de Prayojana, a meta que é alcançada através da prática de purificação do ser até que o ser se torna bem aventurado e puro.

srimad bhagavatam pramanam amalam
prema purmatho mahan
sri chaitanya mahaprabhu matan idam
tatradaro nah parah
Aqui foi dada uma breve e fácil descrição das três grandes verdades do Bhagavat de acordo com as autoridades perfeitas, sábios auto realizados na ciência de Deus.

Gaura Premanande Hari Hari Bol!!!


Baladeva das b.




                 O Deus dos Deuses Sri Chaitanya Mahaprabhu, abençoando Sanatana Goswamipad. A misericórdia de Sri Guru é essencial para se alcançar Krishna-prema.