Santo Daime e ayauasca. Busca ou fuga?

No mundo atual, existem diversas filosofias e mestres que declaram
que ao seguir determinada prática, doutrina ou dita religião, o praticante alcançará Deus. Cada uma delas tenta provar seu ponto de vista através de afirmações de pessoas comuns ou até de textos sagrados como a Bíblia e as escrituras sagradas Védicas. Tais pessoas são muito inteligentes no seu auto-julgamento e no julgamento daqueles que lhes são semelhantes. Não é tão incrível que pessoas comuns realmente acreditem que o caminho criado é o melhor a se seguir, quando analisamos a potência a energia ilusória do Deus Supremo Sri Krishna, chamada Maya. Esta energia ilusória de Deus faz com que pessoas normais acreditem que o caminho criado pela mente do homem comum, seja o melhor e mais fácil caminho para alcançar a Verdade Suprema. Porque esta energia de Krishna é muito sutil e poderosa, eles não percebem que estão sendo enganados e assim também enganam outros. É dito nos Vedas que a religião do povo nesta era de Kali seria aquela onde desfrute material e mental tomaria o espaço do espiritual (cura do espírito-alma), tornando o caminho a Deus muito fácil e alcançado sem grande esforço. Enquanto que a verdadeira religião prega justo o contrário; “O caminho que leva a Deus é uma estrada cheia de obstáculos e dificuldades, e poucas serão as pessoas que o trilharão. Por isso, a verdadeira religião praticada com seriedade e correto entendimento escritural, hoje é desconhecida do povo comum.”


O ‘Santo’ Daime e os rituais de Ayauasca (o qual se incute até mesmo mantras védicos) faz parte destas novas doutrinas criada pelo homem que na subseqüência de uma experiência ‘divina’ rápida e sem o menor esforço ou prática austera, atrairia o jovem através de um gratificante caminho ‘espiritual’. Em um mundo onde a juventude é facilmente influenciada pelo modismo, o ‘diferente’, o ‘misticismo’ e pela televisão, não é de se estranhar que um ritual licenciado e de fácil acesso, esteja conquistando a mente destes jovens. A busca pela transcendência barata e pela rápida e prazeirosa ‘visão divina’, associado ao desfrute mental e coletivo, faz da fuga criativa uma maneira de ‘buscar’ o Supremo através de plantas ‘sagradas’ que torna a Verdade Onipotente e transcendental aos sentidos materiais, facilmente acessível ao intelecto e mente de pessoas mundanas. Iludidos por uma visão ilusória criada por maya, são facilmente deprivados de uma real vida divina e um contato real com a Verdade. Assim como um bêbado que é posto na cadeia, dá risadas, rola e lambe o chão e se julga ser Deus, estas pessoas, iludidas por maya, pensam está se conectando com a Verdade através do uso de coisas externas associadas com este mundo. Não foi constatado em nenhuma escritura sagrada, seja ela de qualquer cultura religiosa fidedigna deste mundo, que o uso de bebibas, plantas (alucinógenas ou não), ou qualquer outra substância (mesmo que associada a outras praticas de yoga, mantras etc..) pode levar o homem até Deus. Nunca ouvimos falar ou ler em qualquer Veda, Purana etc.. que um Rsi- Sábio ou yogui auto-realizado usou algo mundano, líquido, pastoso ou sólido para obter o êxito em sua prática. Porém, no intuito de interpretar as escrituras ou instigar o conhecimento ‘oculto’ provindo da matéria, pode-se chegar á uma conclusão utópica, como descrito Por B.B.Tirtha Goswami Maharaj, em seu livro chamado ‘Ensinamentos da Gita’: (situação parecida com a daqueles que defendem o uso de chás alucinógenos ou ‘santos’, citando interpretações de literatura sagrada, seja ela Bíblica ou Védica):

“Hoje em dia, muitas pessoas distorcem os ensinamento do Gita visando satisfazer sua vil mentalidade. Uma vez, o discípulo de Srila Bhaktissidhanta Saraswati Thakur, chamado Srila Bhakti Kumud Santa Goswami Maharaj, foi até a Kashmir a convite do Rei Hari Simha, da Kashemir. Os convidados para a assembléia eram pessoas ricas e muitas delas tinham grandes plantações de chá. Santa Goswami Maharaj nunca hesitou em falar a verdade. Na sua palestra, ele disse enfaticamente: 'Pessoas virtuosas nunca devem cometer pecados. Elas não devem jogar jogos de azar, se engajar em associação ilícita com mulheres, não devem matar ou comer animais e também não devem se intoxicar de nenhuma maneira, incluindo chá.'



Os donos de plantações de chá ficaram abismados ao ouvir isto. Um deles disse: “Swamiji, você falou contra o chá, mas o chá é glorificado no Bhagavad Gita.” (Na Índia, a palavra ‘ca’ é pronunciada ‘cha’). O dono da plantação de chá citou um verso:


Sarvasya caham hrdi sannivisto

Mattah smrtit jnanam apohanam ca

Vedais ca sarvair aham eva vedyo

Vedanta krd veda vi deva caham


(Gita, 15.15)



"Na forma do ‘ca’, chá, Eu entro no coração de toda entidade viva.” Por último, Krishna diz: “Eu sou ‘ca’ (caham), que significa ‘Eu sou o chá’.



Esta foi a interpretação dada pelo dono de plantação de chá de acordo com seu próprio intelecto material. è óbvio que o significado foi transformado para servir uma vil mentalidade e motivos ocultos. Tais comentários enganam os leitores e não obtem-se nenhum benefício. O significado correto da palavra ‘ca’ é ‘também’ e não ‘chá’. Ali, Krishna diz: “Eu também resido no coração de todas as entidades vivas”. (Fim do trecho do livro)



A vida dos santos Jesus, Maomé, Moisés e Chaitanya Mahaprabhu devem ser meditadas e seguidas por aqueles que realmente desejam trilhar o caminho da dedicação a Deus, através do serviço ( a Ele) e abnegação de elementos mundanos. Todos estes enviados de Deus pregaram suas religiões de acordo com a vontade Divina em determinada época e local. Alertaram a todos do perigo que novas religiões ou doutrinas criadas pelo homem comum poderiam trazer ao progresso espiritual da humanidade. Pessoas lúcidas, sinceras e rendidas, nunca se deixarão levar pelo sentimentalismo moderno comum desta era e sempre seguirão o exemplo dos enviados de Deus, através de suas escrituras sagradas de conhecimento profundo e exemplo pessoal de santidade.

Foi dito pelo Senhor Supremo Sri Chaitanya-dev no Sri Chaitanya Charitamrta:

harer nama harer nama harer namaiva kevalam
kalau nsty eva nasty eva nasty eva gatir anyatah

"Nesta era de kali atual, não há outra maneira, não há outra maneira, não há outra maneira de se libertar deste cativeiro material e alcançar o destino supremo á não ser o cantar dos santos nomes, o cantar dos santos nomes, o cantar dos santos nomes de Deus"

Mahaprabhu usou 2 termos por 3 vezes visando não deixar dúvidas quanto a isto. Nesta era atual, a única pratica religiosa, espiritual etc.. apropriada é o cantar dos santos nomes de Deus (Quer O chamamos de Krishna, Vishnu, Alá, Jeová ou Cristo).



Nota adicional:



Fadas e duendes: De acordo com os Vedas, especialmente o quinto canto do Srimad Bhagavatam, fadas e duendes são seres de natureza inferior e demoníaca. Eles habitam o primeiro planeta sub-terreno chamado Atala. É descrito no Bhagavata que os seres que lá vivem são influenciados pelo modo da ignorância, por isso habitam planetas que são controlados por raças de demônios; Daityas, Danavas, Nagas etc ..... Seus habitantes possuem tecnologia avançada e muita riqueza, porém com medo de perder sua vida de desfrute, temem a Chakra de Vishnu, após um tempo, são mortos e de novo, são postos na roda do Samsara. Ao chegar uma pessoa nova em seu planeta, as mulheres 'fadas' lhes dão um chá de canabis indica para incita-los a praticar sexo com elas. Assim sugam toda a energia dos recém chegados ao planeta Atala. Como descrito nas literaturas sagradas, o conceito de fadas e duendes etc... diferencia-se bastante do seu atual conceito moderno , principalmente do conceito dos jovens que aderem ao uso de substãncias alucinógenas ou plantas de poder. Para informação detalhada dos planetas inferiores e seus habitantes favor ver o vídeo documentário (em inglês)



http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=0yzH2n7MLM8#!



Caboclos e espíritos da terra: Também é comum hoje, pessoas afirmarem que visões de espíritos da terra é um sinal auspicioso, de evolução e comunicação com o mundo invisível. Tanto os Vedas e o espiritismo provam justo o contrário. Os únicos seres que vagam pela terra, são espíritos sofredores, muitas vezes, suicidas e viciados que morreram de forma acidental ou de overdose, que aproveitam da oportunidade do uso de intoxicantes de forma coletiva, para sugar suas energias e também interagir com o mundo. É a única forma deles entrarem em contato com seres humanos que vivem aqui, pois não possuem mais corpo material e sentem intensa necessidade de interagir na terra. Muitos deles não sabem que estão mortos, assim vivem em intensa agonia, as vezes entram em corpos ‘abertos’ que estão despreparados ao usar plantas de poder ou substãncias alucinógenas. Para maiores informações ..


http://www.veda.harekrsna.cz/planetarium/index.htm


Visões ‘celestiais’: Como o mundo superior celestial e transcendental, são compostos de elementos sutis purificados, é impossível entrar em contato com eles através de elementos inferiores ou da terra. Tal visão obtida sob o efeito de tais plantas, não passam de mera ilusão criada por maya, a energia ilusória de Deus. Ela age na mente das pessoas e assim facilemnte os colocam em uma posição confusa. As vezes acham que estão vendo Deus, Krishna, ou Shiva etc ... De Fato, até mesmo Shiva, tem que praticar austeridades e meditação milhões e milhões de anos para obter a visão de Sri Krishna. Em todas as escrituras sagradas é dito que os seres humanos vem ao mundo, com a consciência apropriada para compreender Deus, precisando apenas praticar os ensinamentos de forma estrita e disciplinada e através de orações, ou mantras dados nestas mesmas escrituras. Através do serviço e dedicação a Deus, pode-se obter tal real divina, e não de outra forma. As pessoas acham que almas condicionadas normais podem ter esta mesma visão muito facilmente e sem o menor esforço. Após um tempo, podem vir a achar que são Deuses ou Deusas, muito poderosos. Esta é uma das armadilhas das plantas de poder como dito por Carlos Castanheda em seus livros de experiências xamãnicas.





7 comentários:

  1. dandavats pranamas! Haribol
    Muito interessante estes pontos, e muito bem explanados.
    Hare Krsna! jay Gurudev!

    ResponderExcluir
  2. Acho que está equivocado. Isto que voce relatou não é o Santo Daime do qual busco compreender e frequento.
    Daime é vida, luz, força e amor.
    Provo isso pela experiencia da minha vida.
    Salvei minha vida, me arrependo dos meus erros e sigo numa dura batalha.
    Viva toda diversidade de fé!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O texto acima relata todo tipo de fé propagada pelos ditos 'mestres' de hoje, que são muito populares e venerados pelos homens de hoje. Porém vox-popoli, voto popular, não é de maneira alguma instrumento para julgar a Verdade Absoluta, se assim fosse, O Criador perderia seu título de Onipotente. a lei Dele está acima de qualquer julgamento ou escolha dos homens comuns. O texto nos ensina a ver as coisas através de escrituras sagradas como a Bíblia, O Korão, o Torah e principalmente os Vedas. A energia externa de Deus está aí para iludir aqueles que pensam que união ou conexão com Deus pode se conseguir em qualquer esquina ou rituais. Estes textos sagrados e fidedignos alerta o homem de verdadeira fé para as falsas doutrinas criadas pelo homem comum w desprovido de conhecimento transcendental, nos avisa ainda que o caminho até Deus não é tão fácil assim como pensam, basta ver o quão dura foi a vida de Jesus, Maomé e Mahaprabhu. Nenhum deles foi compreendido pelo homem comum, então não é de se estranhar que na opinião da sociedade, falsos mestres e doutrinas sejam vangloriados pelos mesmos.

      Quanto a sua boa experiência, pode ser muito válida se ao longo da nossa jornada podemos nos aprofundar neste caminho e assim aceitar uma coisa nova, dispensando a antiga. Os Vedas vem trazer a harmonia entre as diversidades de fé, pois elas buscam apenas um Deus, não há um segundo. O mais importante é um guia fidedigno que ensina pelo exemplo pessoal de santidade e que segue uma filosofia teísta.O resto depende da nossa própria prática espiritual e boa conduta. Hari Bol!!!

      Excluir
  3. Você nunca tomou o chá Ayahoasca para poder julgar seu poder de elevação espiritual. Se você quer respeito na doutrina Krisnaísta, aprenda a ser tolerante com a fé dos outros. O chá do Santo Daime tem mais de 5 mil anos de uso aqui na América do Sul. Qual a diferença entre o chá Santo Daime e o chá SOMA mencionado nos Vedas?

    ResponderExcluir
  4. amigo Pablo Bianchi, obrigado pelo seu comentário, discussão sobre assuntos de extrema importancia para nosso seguimento espiritual devem ser discutdos para o benefício de todos ....

    primeiro, a questão não é se usamos ou não, a questão é a palavras de mensageiros de Deus e suas intruções acerca de como chenecer e realizar a Verdade .... aki está a descrição sobre o suco Soma no Rig Veda ....

    The Rigveda (8.48.3, states,

    a ápāma sómam amŕtā abhūmâganma jyótir ávidāma devân
    c kíṃ nūnám asmân kṛṇavad árātiḥ kím u dhūrtír amṛta mártyasya

    Som (good fruit containing food not any intoxicating drink) apama (we drink you)
    amŕtā abhūmâ (you are elixir of life) jyótir âganma (achieve physical strength or light of god)
    ávidāma devân (achieve control over senses);
    kíṃ nūnám asmân kṛṇavad árātiḥ (in this situation, what our internal enemy can do to me)
    kím u dhūrtír amṛta mártyasya (god, what even violent people can do to me)

    The Ninth Mandala of the Rigveda is known as the Soma Mandala. It consists entirely of hymns addressed to Soma Pavamana ("purified Soma"). The drink Soma was kept and distributed by the Gandharvas. The Rigveda associates the Sushoma, Arjikiya and other regions with Soma (e.g. 8.7.29; 8.64.10-11). Sharyanavat was possibly the name of a pond or lake on the banks of which Soma could be found. It is described as "green-tinted" and "bright-shining" in the RigVeda. (R.V., 9.42.1 and 9.61.17)

    The plant is often described as growing in the mountains (giristha, cf. Orestes), notably Mount Mūjavant. It has long stalks, and is of yellow or tawny (hari) colour. The drink is prepared by priests pounding the plants with stones. The juice so gathered is filtered through lamb's wool, and mixed with other ingredients (including cow milk) before it is drunk. It is said to "roar". It is said to be the bringer of the gods.

    Neste texto do Rig-veda , claramente se declara que o suo soma é um suco tomado apenas pelos Devas- Semi-deuses habitantes dos planetas celestiais, e não no planeta terra por pessoas comuns. ele é extraío de uma folha amarela e depois misturado com leite e então distribuídos aos Devas. Importante lembrar que semi-deuses tomam esta bebida para desfrute sensorial e não avanço espiritual, pois nos planetas celestiais só há desfrute e não há sequer vestígio de vida espiritual.

    Quanto a elevação espiritual, um dos nossos Acharyas declarou que ervas ou bebidas como estas, podem nos elevar um pouco, porém á um nível ainda superficial, disse que é inimigo da fé e não pode nos levar bem alto. Algumas visões nada mais são do que criações da nossa própria mente e não uma 'revelação' da divindade, pois esta só pode ser recebida através de muito esfôrço, misericórdia de um Guru fidedigno e prática espiritual baseada no cantar de mantras recebidos de tal sad-gurudev. É isso que os vedas declaram, agora tirem suas próprias conclusões sobre o assunto. Não estamos aqui para julgar ninguém mas temos a missão de instruir as pessoas sobre o significado essêncial dos Vedas, a palavra de Deus.

    OBS> pode-se ter feito o uso do cha há milhões de anos, o que isso iria mudar?? os Vedas existem há trilhões e mais trilhões (tempo inimaginável, sem começo) .. porém qual o objetivo de quem o toma?? Para alcançar os ancestrais ou corpos de animais etc ... pode-se obter refúgio em várias coisas deste mundo, porém para obter Deus seja em qual religião ou nome que o chamam, o caminho é dado pelos respectivos profetas em suas escrituras sagradas. Todas elas glorificam o santo nome como o processo para tal eterno fim. Nenhuma delas instrui as pessoas a tomar qualquer tipo de planta para alnaçar o Supremo.

    ResponderExcluir
  5. Outro ponto importante é que um devoto iniciado '1' iniciação hari nama ou diksha é instruído peloes Acharyas e sastras que deve apenas tomar prasada- alimentos ou qualquer coisa que foi ofereciddo par o Senhor Supremo. No Gita Krishna diz o que aceita .. flores, frutas, agua etc.. jamais ele falou 'chá' de qualquer tipo. Assim sendo, de qualquer maneira não só chá mas qualquer coisa que Krishna não aceita produz karma. Swami Prabhupad diz que o devoto só toma maha-prasada e nada mais, assim ele não se enreda no ciclo kármico, é purificado e se pre-qualifica para a pratica de suddha-bhakti. Até mesmo alimentos vegetarianos tomados sem antes oferecer ao Senhor, é considerado karma como Prabhupad declarou, nunca poderá controlar os sentidos permanecerão escravos da luxúria e outros anarthas.

    ResponderExcluir
  6. para muitos, as vezes é impossível aceitar um vício, dependencia de elementos materiais e reconhecimento da atual caída situação .... e para manter um status social e até religioso exotérico até chega-se a dizer que os Vedas e os Acharyas aprovam estas coisas .... é bom que fiquem claro para akeles que por ventura visite esta página que Srila Gurudev através de Madhav Maharaj disse no Brasil que: "Vocês só pensam em real $$$ e daime, mas se kerem ser devotos, devem seguir todas as regras e regulações do Gaudiya Vaishnavismo". E também que nenhuma parte dos Vedas, Upanisads, Puranas, Bhagavat , Gita etc ... aprovam qualquer uso de substancia alteradoras do estado natural do ser no que diz respeito a prática de bhakti yoga e religião Vaishnava. Aqueles que são realmente seguidores do Vaishnavismo devem se opor fortemente contra estas falsas concepções que denigrem a imagem da exaltada religião do Bhagavat.

    ResponderExcluir